Avalie este post

Risco de glaucoma, doença caracterizada pelo aumento da pressão intraocular, aumenta com a presença de pressão alta e diabetes. A importante informação consta de um estudo realizado pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, e publicado na revista americana Ophthalmology.

De acordo com os pesquisadores, o diagnóstico de diabetes tipo 2 aumenta o risco de glaucoma em 35%. E quando há hipertensão arterial, a chance é maior em 17%. Mas, quando ambas condições estão presentes, a probabilidade de desenvolver glaucoma é de 48%. Vale lembrar que a relação das doenças com o glaucoma ainda está sendo estudada.

A conclusão desse importante estudo foi baseada em dados de mais de 2 milhões de pessoas, com 40 anos ou mais. A pesquisa analisou como as possíveis associações entre os vários componentes da síndrome metabólica – um conjunto de condições que inclui obesidade, hipertensão, diabetes e colesterol alto e triglicérides elevados (hiperlipidemia) – afetava a saúde da população norte-americana.

 

Além de concluir que o diabetes tipo 2 e a hipertensão aumentam o risco de desenvolvimento do glaucoma de ângulo aberto, os pesquisadores descobriram também que a hiperlipidemia reduz em 5% o risco de desenvolver a doença. Apesar dessa boa notícia, ainda é necessário avaliação detalhada para saber se é a hiperlipidemia em si, os medicamentos usados para tratar a condição, ou ambos, que ocasionam a redução do risco de glaucoma.

Risco de glaucoma: alerta importante

A nova pesquisa reforça a importância dos exames oftalmológicos regulares. Assim, além dos grupos de risco já conhecidos (indivíduos com mais de 40 anos, raça negra, altos míopes e pacientes que tiveram trauma ocular), deve-se ter atenção redobrada aos portadores de diabetes tipo 2 combinada com hipertensão arterial.

O glaucoma é uma das principais causas de cegueira irreversível no mundo. Nos Estados Unidos, mais de 2,2 milhões de pessoas tem a doença. No Brasil, as estimativas apontam para mais de 2 milhões de pessoas portadoras de glaucoma, em seus vários tipos.

 

 

 

 

IMPORTANTE

Os exercícios visuais NÃO substituem o tratamento médico oftalmológico convencional. Consulte regularmente o seu oftalmologista, pois o método de exercícios naturais para os olhos é complementar à sua saúde visual. Não desautoriza nem desestimula, de forma alguma, a continuidade do tratamento médico oftalmológico.
Em caso de dúvida ou desconforto em seus olhos, procure o médico oftalmologista. Só ele é autorizado a fazer diagnósticos e a receitar ou suspender qualquer tipo de medicação.Não se automedique nem suspenda qualquer tipo de medicamento ou de tratamento sem a autorização do seu médico oftalmologista.