3 (60%) 1 voto

Glaucoma e Catarata são duas alterações visuais da lista de doenças trabalhadas em meus cursos online e com meu material gratuito disponibilizado na internet — que podem ter seus efeitos freados ou controlados com a prática regular de exercícios para os olhos. Isso não quer dizer que o aluno deixará de ter acompanhamento médico especializado. Pelo contrário, toda e qualquer evolução observada com a prática, tanto para Glaucoma e Catarata, por exemplo, como para os demais problemas de visão, precisam ser avalizados pelos médicos oftalmologistas.

Dessa forma, partindo desse princípio, o que ocorre com a saúde visual — à medida que o treinamento avança — é  uma mudança de padrão de cuidados, até então esquecida. Assim, eu diria que os olhos passam a ser estimulados da forma adequada, a partir da técnica que eu estudo e vem me dedicando ao longo desses anos. O que minha experiência e a prática com meus alunos me apresenta de forma constante é que os exercícios visuais são eficazes para Glaucoma e Catarata.

Glaucoma e Catarata ficam sob controle com exercícios visuais

Como o Glaucoma é uma doença silenciosa, é imprescindível manter em dia as visitas ao oftalmologista. E, nunca, em hipótese alguma, deixar de acompanhar o tratamento com um médico. No entanto, o que eu digo é que há uma saída alternativa com os exercícios visuais, que poderão controlar o Glaucoma e a Catarata de forma natural.

Quer saber mais sobre os exercícios para Glaucoma e Catarata? Clique no link abaixo e baixe gratuitamente o e-book: 8 Passos Para Enxergar Melhor Sem Óculos e Sem Cirurgias

http://bit.ly/2HpO6g2

Dessa forma, posso lhe assegurar que não faltam casos ligados à essas doenças nos quais a prática vem surpreendendo muitos médicos. Assim, o treinamento visual permite até que muitos possam diminuir as doses de remédios dos pacientes. Veja abaixo vários depoimentos de alunos que conseguiram reduzir o uso de colírios e os sintomas da doença.

Catarata: você conhece os riscos desse tipo de cirurgia?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Catarata é responsável por 51% dos casos de cegueira no mundo. Ou seja: 20 milhões de pessoas têm esse problema ocular. Por isso, essa é uma das doenças mais comuns quando se fala em visão. Sem falar que está bastante associada (de forma errônea) ao avanço da idade.

Porém, tenho visto alunos de 30, 35, 40 anos aparecerem no curso com diagnóstico de Catarata precoce. Porque isso está muito ligado ao estresse oxidativo que a gente vive atualmente. E, sim, ao uso indiscriminado dos olhos, com excesso de celular e computador (falta de olhar longe e não movimentar os olhos). Mas, não é só isso. É também ao fato de não relaxarmos e não nos desligarmos dos acontecimentos e problemas da vida cotidiana!

Conheça exercícios para Glaucoma e Catarata, clicando no link abaixo e baixando gratuitamente o e-book: 8 Passos Para Enxergar Melhor Sem Óculos e Sem Cirurgias

http://bit.ly/2HpO6g2

No entanto, a operação de Catarata tornou-se algo banal nos dias de hoje. Isso é um fato. Um estudo sobre os processos judiciais sofridos pelos médicos oftalmologistas revelou que a maior causa das reclamações dos pacientes estavam relacionadas à cirurgia de catarata, cerca de 65,7%. Enquanto outros 11% ficaram insatisfeitos com a cirurgia refrativa.

Assim, os casos de processos ocorreram em razão da perda ou redução significativa da visão após os procedimentos. Fico imaginando os casos que não chegam até mim, ou então que não entram na justiça. Provavelmente são muitos, infelizmente.

Cirurgia de Catarata não é inofensiva

Dessa forma, também, eu venho presenciando de forma rotineira – desde a época que atendia em meu consultório — histórias de perda ou redução de visão após cirurgia de Catarata. Assim, desde então, o que mais ouço é: se eu soubesse dos exercícios visuais antes, eu provavelmente não teria perdido a visão deste olho.

No entanto, quero deixar claro que não sou contra a cirurgia. Mas, sim, contra ela ser indicada indiscriminadamente, para pessoas que tem uma visão que funciona, que leem, dirigem, e têm a possibilidade de recuperar o cristalino por meio de exercícios visuais.

Por isso, meu objetivo aqui é alertar para os riscos desse tipo de procedimento que vem sendo — muitas vezes — tratado como inofensivo. Porque todo procedimento tem riscos, por mais seguro que pareça. Inclusive, a cirurgia de catarata. Por essa razão, geralmente um olho é operado antes, e o outro só após verificar se não ocorreram complicações.

Saiba como controlar Glaucoma e Catarata com exercícios visuais, baixando meu e-book: 8 Passos Para Enxergar Melhor Sem Óculos e Sem Cirurgias

http://bit.ly/2HpO6g2

Depoimentos de quem controlou e reduziu Glaucoma

Glaucoma: conheça a linda história de superação do garoto Alyson

 

Sérgio provou para o médico que poderia abandonar todos os colírios

 

Cláudia conseguiu reduzir o Glaucoma e aumentar a nitidez da visão:

 

Brenda deixou de usar colírios e melhorou a visão para perto:

 

Lilian desmarcou cirurgia após reduzir a pressão ocular:

 

Clelia abandonou os óculos escuros, controlou a ansiedade e pressão ocular:

 

Marlene se dedicou aos exercícios e estabilizou o Glaucoma:

 

Depoimentos de quem diminuiu Catarata

Conheça a história de Dodora Andrade – hoje tutora do curso online – que conseguiu regredir a catarata e o grau dos óculos para Hipermetropia e Astigmatismo.

 

Sonia recuperou a visão e evitou a cirurgia de Catarata com a prática dos exercícios

 

Com apenas 38 anos, Sandra foi diagnosticada com catarata e reduziu a doença com exercícios específicos:

Edith optou pelos exercícios e não se submeteu à cirurgia. E também se livrou dos colírios

 

Conheça a história de Nair que se recuperou de seus problemas de visão:

IMPORTANTE

Os exercícios visuais NÃO substituem o tratamento médico oftalmológico convencional. Consulte regularmente o seu oftalmologista, pois o método de exercícios naturais para os olhos é complementar à sua saúde visual. Não desautoriza nem desestimula, de forma alguma, a continuidade do tratamento médico oftalmológico.
Em caso de dúvida ou desconforto em seus olhos, procure o médico oftalmologista. Só ele é autorizado a fazer diagnósticos e a receitar ou suspender qualquer tipo de medicação.Não se automedique nem suspenda qualquer tipo de medicamento ou de tratamento sem a autorização do seu médico oftalmologista.