Da cegueira para a visão: um caso de inspiração para todos nós.

ArquivoExibir
Olá Pessoal!! Chegamos a última dica do ano!!! Mais um ano de muita saúde, muitas trocas e experiências enriquecedoras juntos, tanto virtual como pessoalmente no Parque Villa Lobos. Queria agradecer e dizer que fico muito feliz por poder compartilhar com vocês as dicas de saúde, e assim incentivar de alguma maneira os cuidados com os olhos e o corpo!! Esse sábado dia 1 de dezembro então será também nosso último encontro no parque de 2012, mas ano que vem tem mais…voltamos com o grupo no Parque Villa Lobos e as dicas semanais dia 19 de Janeiro de 2013! Desejo um final de ano maravilhoso para todos nós!!
Para terminarmos nosso ano com muita inspiração e uma injeção de animo para seguir em frente, envio hoje a história real de Nancy, contada no livro Movimento para autocura de Meir Schneider.
Nancy, uma canadense de 18 anos, procurou Meir quando sofrera de um distúrbio na tireoide, que dentre as muitas consequências gerou um nervo óptico subdesenvolvido. Nancy chegou com o diagnóstico de 20 porcento de visão no olho esquerdo e cegueira no olho direito, que percebia somente a luz.
Quando Meir em seu consultório fez a medição funcional da visão de Nancy verificou que seu olho esquerdo apresentou 50 porcento, e não 20 porcento de uma visão normal. Sua mãe que acompanhava a sessão disse:”Consultamos os melhores especialistas do Canadá, como ela não conseguiu enxergar melhor nos exames deles?”. Meir respondeu: ”Agora ela está relaxada, e sua visão está em seu melhor ponto. Nos consultórios dos oftalmologistas, provavelmente ela estava tensa e, assim, a sua visão não era medida em sua melhor condição”.

 

O primeiro exercício feito com a garota foi ocluir o olho mais forte e estimular o olho mais fraco com luzes piscantes no quarto escuro. Depois de um minuto Nancy conseguia identificar de onde a luz estava vindo, um minuto mais tarde ela podia ver o formato da luz, um minuto mais e viu os traços de Meir, e dois minutos depois conseguiu descrever o rosto de Meir. Todos na sala ficaram surpresos, e foi uma experiência muito positiva para Nancy, que ainda não conseguia compreender o que acontecera.
Aparentemente, em todos os testes clínicos, o olho mais forte de Nancy tinha sido tapado apenas por um instante sem que ele tivesse o estímulo suficiente para reagir.
Durante o tratamento Meir e Nancy tapavam o olho mais forte e andavam pelas ruas com o olho mais fraco, olhando grandes placas e outros objetos. Nancy subia e pulava em uma cama elástica, ao mesmo tempo que jogava e pegava grandes bolas coloridas. Ela se sentiu um tanto estranha, fora de lugar, pois nunca usara o olho direito e agora estava jogando e pegando bolas usando só esse olho.
Ao final de uma semana de trabalhos intensivos com os olhos o olho mais forte de Nancy já apresentava 70 porcento de uma visão normal, e o olho mais fraco já havia melhorado 20 porcento.
Os pais de Nancy, que no início estavam um pouco duvidosos com o tratamento, agora observavam atonitos enquanto Meir e ela jogavam bola um para o outro com o olho mais forte da garota tapado.
Nancy continuou o trabalho em casa com vários outros exercício que aprimoraram ainda mais sua visão binocular, um trabalho ocular conjunto que cria a percepção de profundidade, e o relaxamento de seus olhos, e nunca parou de melhorar sua visão.
Este caso é um belíssimo exemplo de como o corpo possui ferramentas para se curar, e que quando ativadas de maneira correta podem superar até as maiores dificuldades.
Em meu consultório vejo exemplos como os de Nancy acontecerem a todo momento. Pessoas que não se acomodam com sua condição, seja ela grave como a do exemplo acima, ou uma miopia mais simples, e que com força de vontade conseguem melhorar.
O que é intolerável varia, naturalmente, de pessoa para pessoa. Uma pode ser perfeitamente ajustada à uma cadeira de rodas, enquanto outra pode ser sentir mal em não conseguir correr 16 km por dia. Eu e Meir preferimos os descontentes. São eles que terminam mostrando aos outros as coisas surpreendentes que podem ser realizadas pelo corpo!!
Desejo que em 2013 você se surpreenda como nunca antes, que seja corajoso para mudar o que deve ser mudado, e que seu ano seja realmente NOVO, e muito feliz!!!
MAIS INFORMAÇÕES E CONTATO:

www.metodoselfhealing.com.br

e-mail suportedratatiana@gmail.com

.

Quer saber mais e receber dicas como essa com exclusividade? Faça parte da lista VIP colocando seu email abaixo.

Responsive image

Dra. Tatiana Gebrael


Dra. Tatiana Gebrael ACREDITA nos tratamentos naturais, que agem não só nos sintomas, mas também nas causas dos problemas visuais e corporais, e que É POSSÍVEL ter olhos e corpo cada vez mais saudáveis em qualquer idade. Terapeuta Ocupacional, Especialista, Mestre, e Instrutora do método Self-healing de Meir Schneider.

Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão

Campos obrigatórios são marcados com *